sábado, 7 de agosto de 2010

SONETO DO NAMORO

Doce encontro temperado de diálogo e carícias,

Vereda embalsamada, lócus recíproco de afetos.

Sublime dádiva, horizonte de sonhos e projetos,

Vidas enlaçadas em um mar de ondas e delícias.


Quantas pessoas aspiram cativar tão bela sensação,

Buscam a felicidade e a vida com alguém partilhar.

Mas, barreiras e imaturidade, acabam por não deixar

Ao outro conhecer e cultivar um real amor ablação.


Importante se faz sondar além do imediato e aparente,

Namorar não restringe a beijos, abraços e presentes,

Supõem amizade e emoção, algo mais que ser amante.


Estar juntos; olhar nos olhos e numa mesma direção,

Entregar-se ao ser amado e degustar o mel da paixão,

Contemplar a luz e sentir o mistério brotar no coração.

Marcorelio

Nenhum comentário:

Postar um comentário